Publicado em : 15/09/2022 - Atualizado em: 19/09/2022 08:53:39

Projeto administrado pela FAPEX ganha primeiro lugar em Edital divulgado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

Projeto de reabilitação urbana e ambiental do Bairro Gogó da Ema (Itabuna/BA) ganhou o primeiro lugar na chamada pública do Programa Mais Arquitetos do CAU Brasil


O Projeto de reabilitação urbana e ambiental do Bairro Gogó da Ema, em Itabuna/Bahia, foi o primeiro colocado entre os 17 projetos classificados na Chamada Pública do Programa Mais Arquitetos, promovido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR)

A Chamada Pública, responsável por selecionar projetos a serem apoiados pelo CAU Brasil em 2022, tem como foco, ações de prevenção e mitigação de riscos climáticos e recuperação de áreas degradadas por desastres ambientais a partir do Apoio à Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social (ATHIS), em locais de vulnerabilidade social que tenham sido atingidos entre os anos de 2018 e 2022.

Com um prazo de execução de 12 meses, o referido projeto é administrado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Extensão (FAPEX) e coordenado pelo Dr. Arq. Joel Pereira Felipe da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Segundo o Professor Joel, o bairro Gogó da Ema foi escolhido para o projeto em decorrência das fortes chuvas ocorridas na região, no final do ano de 2021. Em entrevista para a Globo News, o Professor propôs a utilização da Lei de ATHIS (11.888/08) para aumentar a capacidade da administração pública para a intervenção mitigatória e preventiva nas áreas afetadas, tendo em vista a previsão de futuros problemas causados pelas mudanças climáticas na região.

Para a elaboração do projeto, o Prof. Joel contou com o apoio de outros docentes da UFSB e de entidades parceiras (Prefeitura de Itabuna, Anhanguera Educacional, IFBA-Ilhéus, Movimento Sul da Bahia em Ação e Lar Fabiano de Cristo), para realizar visitas e propor ações integradas que devem trazer impactos positivos nos aspectos habitacionais, urbanos, sociais e ambientais como modelo para as áreas atingidas pelas enchentes. No total, oito dos projetos com maior pontuação, receberão R$ 1,5 milhão em aporte financeiro para colocar em prática soluções com base na ATHIS, em regiões por todo o Brasil, sendo destinado ao Gogó da Ema R$ 250 mil.”